Guia para Jogadores Problemáticos

Definição e glossário.

jogadores problematicos

Muitos indivíduos têm sentimentos mistos acerca do jogo. Muitas vezes não querem parar de jogar, simultaneamente sentem que o jogo lhes está a ser prejudicial. Situações aparentemente contraditórias como estas podem afetar o jogador. Através do aconselhamento, o jogador conseguirá avaliar melhor a sua situação e trabalhar em estratégias para repor o seu equilíbrio e estabilidade.

Recompensas e Riscos do Jogo

As afirmações seguintes, sobre rcompensas e riscos, são comuns à maioria dos jogadores problemáticos:

Recompensas

Jogo porque:

  • Adoro a excitação do jogo;
  • Sei que um grande ganho poderá resolver todos os meus problemas;
  • O jogo é a única forma de enriquecer de um dia para o outro;
  • Sinto-me importante quando ganho;
  • Gosto de poder tratar bem a minha família e amigos;
  • Possuo um método seguro. É só uma questão de tempo até recuperar tudo o que perdi;
  • Quando estou “em maré”, consigo fazer dinheiro rápida e facilmente;
  • O jogo permite que eu esqueça os meus problemas por algum tempo;
  • O jogo é uma das coisas na vida que se destina precisamente a mim. Quando jogo, sinto que assumi o comando;
  • Todos os meus amigos jogam.

Riscos

Estou a pensar em procurar ajuda porque:

  • O meu companheiro/a ameaça abandonar-me se eu não parar de jogar;
  • Estamos sempre a discutir por causa do jogo;
  • Estou farto de disfarçar, de mentir e de esconder as minhas perdas;
  • A minha reputação está prejudicada;
  • Os credores estão a importunar-me. Estou a considerar abrir falência pessoal;
  • Só penso no jogo. Tomou conta da minha vida.
  • Deixei de me preocupar com coisas que deveriam ser importantes para mim;
  • Pedi dinheiro emprestado a muita gente. Sinto-me envergonhado por ter de enfrentar tantos credores;
  • Receio perder o emprego porque estou sempre perturbado;
  • A minha saúde está afetada;
  • A maioria das vezes, nem sequer gosto de jogar;
  • Sinto-me derrotado. Por vezes, detesto-me tanto a mim próprio que desejo acabar com tudo.

Possíveis Consequências do Jogo

A maioria dos jogadores problemáticos afirma que perdeu o controlo sobre o tempo e dinheiro que gasta no jogo e ignora outras obrigações. Sabem que têm problemas, mas apenas o jogo parece ser importante.

Perda de Controlo

Por que não consigo abandonar o jogo?

  • “Como é que isto aconteceu? Não acredito que me meti em tantas complicações!”;
  • “Se parar de jogar agora não tenho como restituir todo o dinheiro que devo”;
  • “Se tivesse dinheiro para investir, tenho a certeza que a minha sorte mudaria”;
  • “Mesmo que tivesse um grande prémio, provavelmente acabaria por voltar a perder”;
  • “Não consigo enfrentar esta confusão sozinho, mas tenho vergonha pedir ajuda!…”;
  • “Deveria conseguir resolver os meus próprios problemas! Como pude ser tão estúpido?”;
  • “Nunca pensei que as coisas ficariam assim tão más!…”

Os Sentimentos Acerca do Jogo

A maioria dos indivíduos que joga em excesso apresenta sentimentos mistos em relação ao jogo: eles sabem que estão a causar problemas às pessoas importantes na sua vida, mas continuam a jogar; podem ficar ansiosos e infelizes e, muitas vezes, até detestar-se a si próprios, mas continuam a jogar. O impulso de jogar é demasiado forte para conseguirem resistir. Sentem que não conseguem renunciar ao tempo, dinheiro e emoção que investiram no jogo e não aceitam a ideia de que nunca recuperarão o que perderam.

Algumas Pessoas Acreditam em “Métodos” (“Martingalas”)

Alguns indivíduos acreditam que o seu ‘método’ acabará por pagar as despesas, que a sua sorte mudará ou que o seu destino é ganhar. Outros acreditam que continuar a jogar é a única forma de sair de uma situação da qual se sentem envergonhados.

Promessas e Problemas

Há indivíduos que prometem abandonar o jogo, mas não o conseguem e receiam que os familiares acabem por descobrir. Esta situação leva a que se escondam e se afundem ainda mais em dívidas. Continuam a manter a esperança de que um grande ganho acabará com os seus problemas. De vez em quando podem ganhar, o que manterá viva a sua esperança – até as perdas se acumularem novamente. Se abandonarem o jogo nesse momento, sentem que foram derrotados e terão de enfrentar todos os problemas que o jogo lhes causou.

Ponderar o Aconselhamento

A maioria das pessoas que joga em excesso, pode já ter tentado reduzir ou abandonar o jogo muitas vezes. É difícil alterar o hábito de jogar por iniciativa própria. O aconselhamento pode ajudar a encontrar soluções a longo prazo para os problemas com que se confrontam.

Ansiedade e Depressão

Muitos indivíduos que jogam em excesso sentem stress, ansiedade e depressão, o que interfere negativamente com o sono, o raciocínio e a capacidade de resolução de problemas. Se tiver algum dos sintomas indicados a seguir durante mais de duas semanas, e sentir dificuldades na sua vida quotidiana, poderá estar a alimentar um quadro depressivo que em breve ficará fora do seu controlo

  • Perdeu interesse nas atividades habituais?
  • Sente-se deprimido, desanimado ou irritável?
  • O sono sofreu alterações (p.ex.: tem problemas para adormecer ou em continuar a dormir ou dorme demasiado)?
  • O apetite sofreu alterações e você emagreceu ou engordou
  • Sente-se desamparado, sem esperança ou desesperado?
  • Tem dificuldades de raciocínio e memória e os pensamentos parecem mais lentos?
  • Está continuamente a ter sentimentos de culpa e não deixa de pensar em problemas?
  • Perdeu o desejo sexual e afectivo?
  • Sente-se fisicamente cansado, lento e pesado, ou sente-se agitado e nervoso?
  • Pensa em suicídio?

Se enfrentar alguns destes problemas, converse com o seu médico de família ou outro profissional da saúde (um profissional especializado em jogo problemático poderá certificar-se que obtém a ajuda de que precisa). Não deixe também de partilhar os pormenores do problema do jogo. A medicação e/ou o aconselhamento ou outro tipo de apoio podem fazer parte do tratamento.

Risco de Suicídio

As taxas de suicídio são mais elevadas para os indivíduos que jogam em excesso e para os seus familiares. Os indivíduos com maiores probabilidades de tentarem o suicídio são também os que sofrem de algum distúrbio emocional (como a depressão) e consomem álcool ou substâncias aditivas. Correm mais perigo os indivíduos que ameaçaram ou tentaram suicidar-se ou causaram danos a si próprios no passado.
Se tiver ideias suicidas ou estiver a planear pôr termo à vida, procure ajuda imediatamente. Não tem de enfrentar os problemas sozinho.

O que fazer se tiver ideias suicidas

  • Dirija-se imediatamente ao serviço de urgência mais próximo;
  • Retire do seu alcance todos os meios que possa vir a utilizar para pôr fim à vida (p. ex.: armas de fogo, medicamentos);
  • Dê a conhecer os seus sentimentos e intensões à família ou a uma pessoa amiga;
  • Para obter apoio e informação, contacte um centro de apoio a Indivíduos em sofrimento;
  • Comunique rapidamente ao seu médico o que está a acontecer, inclusivamente a questão do jogo;
  • Não tome bebidas alcoólicas, consuma drogas ou outras substâncias químicas não prescritas medicamente — dado que irá agravar a situação;
  • Converse com alguém da sua confiança, designadamente uma pessoa amiga ou conselheiro espiritual.

Como Ajudar Alguém com Ideias Suicidas

Leve a sério conversas e ameaças de suicídio! Se detectar alguns sinais de alerta ou suspeitar que alguém pode estar a considerar o suicídio como solução, não abandone essa pessoa e procure de imediato ajuda profissional.

Se estiver perante a eminência do acto suicida, aja de acordo com as seguintes regras:

  • Leve a pessoa a sério;
  • Mantenha-se calmo e escute;
  • Não desvalorize ou minimize a intenção;
  • Envolva outras pessoas;
  • Chame o 112 se necessário;
  • Contacte o médico dessa pessoa;
  • Revele interesse;
  • Mantenha o contacto visual;
  • Se apropriado, utilize a linguagem corporal, por exemplo, movimentando-se para perto da pessoa ou segurando a sua mão;
  • Faça perguntas directas;
  • Tente saber se a pessoa possui planos específicos e qual o método de suicídio que está a ser considerado;
  • Não prometa confidencialidade. Poderá ter necessidade de falar com amigos, familiares ou profissionais de saúde;
  • Reconheça os sentimentos da pessoa;
  • Seja empático e não crítico;
  • Ofereça confiança;
  • Realce o facto de o suicídio constituir uma solução permanente para um problema temporário, lembrando a pessoa de que existe ajuda e que as coisas irão melhorar.

Linhas de Apoio a Pessoas em Sofrimento

Os serviços de atendimento telefónico variam entre si, mas na sua generalidade garantem o anonimato e oferecem a possibilidade de falar sobre o problema do suicídio com voluntários ouvintes, sem a pressão de uma conversa face-a-face. 

Falar sobre o problema com alguém desconhecido mas interessado pode ser um grande auxílio em situações de crise ou se se preocupa com alguém que se encontra nesta situação. Os voluntários estão habilitados e podem dar indicações acerca dos locais especializados onde poderá dirigir-se para obter a ajuda ou tratamento específico. Não tem que esperar até que a crise se agudize ou até que haja uma tentativa real de suicídio para procurar este tipo de serviços. 

A procura deste tipo de apoios telefónicos varia, por isso é importante que se não conseguir falar com um tente outro e outro até conseguir o que pretende. Normalmente conseguirá obter ajuda à primeira tentativa, mas não desista pois é uma vida que está em jogo. Muitos suicidas não imaginam que a ajuda pode estar tão perto, ou não lhes ocorre ligar para o apoio porque a sua angústia é de tal forma elevada que lhes tolda a visão desta opção. 

Centros de apoio a Indivíduos em sofrimento.

Serviços de Psiquiatria dos Hospitais Portugueses

Serviços de psiquiatria dos hospitais portugueses

Guia para Jogadores Problemáticos

Aconselhamento

Durante as sessões de aconselhamento fala-se sobre o que está a acontecer na sua vida, de uma forma segura, privada e em que não se julga ninguém. Os profissionais em matéria de jogo problemático receberam formação especifica que lhes permite entender as dificuldades. Junto com o seu consultor, poderá estabelecer um programa de apoio, decidindo a periodicidade e metodologia do aconselhamento e a melhor abordagem para o seu caso. Procurar ajuda é o primeiro passo para ultrapassar os problemas causados pelo jogo. O aconselhamento pode ser individual, com o companheiro/a ou com a família. Também pode haver aconselhamento em grupo.

O Que Posso Esperar?

O aconselhamento é confidencial, dentro dos limites legais. O consultor deverá explicar-lhe tais limites antes de iniciar a consulta, assim como o que tem a esperar do aconselhamento e o que se espera da sua parte.

De Que Modo o Aconselhamento Pode Ajudar?

As pessoas perguntam frequentemente se têm de deixar de jogar para iniciarem as sessões de aconselhamento. A decisão de abandonar o jogo cabe apenas ao próprio jogador. O consultor não pressuade o jogador a introduzir mudanças na sua vida se este não estiver preparado para o fazer.

Analisar Opções de Modo a Poder Decidir

O jogo atinge as pessoas e os familiares de formas diferentes. Os profissionais em jogo problemático providenciam-lhe informação e ajudam a analisar opções de modo a poder decidir qual o caminho mais correto e viável a seguir. Como por exemplo, pode sugerir-se que o jogador pare temporariamente de jogar. Algumas pessoas sabem de imediato quais as medidas que pretendem tomar, enquanto outras permanecem indecisas. De uma forma ou de outra, deixar de jogar por um tempo pode ajudar. Depois, o leitor poderá pensar no modo como o jogo o afeta e como recuperar o controlo da situação. O consultor pode também sugerir que frequente as sessões de um grupo de apoio, como os ‘Jogadores Anónimos’.

Tomada de Decisões

O aconselhamento é um processo de aprendizagem. Ao obter informações novas, pode tomar boas decisões. Os consultores podem ajudar o leitor a resolver os seus principais problemas, o que pode envolver a resolução da sua situação financeira, aprender a controlar o stresse e outros problemas, encontrar outras coisas para fazer durante os tempos livres, reconciliar as relações familiares e restabelecer a confiança entre si e o seu companheiro/a.

Enfrentar os Impulsos do Jogo

O aconselhamento ensina as pessoas a reduzir os seus impulsos do jogo e a controlar a situação. Talvez já tenha algumas estratégias em mente e o aconselhamento poderá ensinar-lhe outras.

Alterar o Comportamento

É importante alterar o comportamento em relação ao jogo, sobretudo quando se começa a enfrentar os próprios problemas, por ser uma ocasião em que os impulsos do jogo são mais fortes. Introduzir alterações no estilo de vida pode ajudar designadamente a:

  • Estabelecer objetivos claros acerca do jogo;
  • Reconhecer vulnerabilidades e os fatores desencadeadores e contar com eles (p.ex.: evitar encontros em locais de jogo e com amigos que jogam);
  • Restringir o acesso ao dinheiro;
  • Descobrir outras atividades que possam mitigar ou substituir o jogo (p. ex.: passar tempo com a família e amigos, procurar interesses antigos ou experimentar novos).

O leitor pode interditar o seu próprio acesso aos casinos ou a plataformas de jogo na Internet (auto-exclusão). O consultor poderá explicar-lhe como a exclusão pessoal e/ou o bloqueamento da Internet se processam e o podem ajudar.

Alterar a Forma de Pensar Acerca do Jogo

As pessoas que jogam em excesso têm crenças falsas acerca do jogo. Tais crenças causam problemas. Muitas pessoas acham que possuem capacidades especiais ou grandes possibilidades de ganhar. Há ainda outras que acreditam que possuem poderes especiais que lhes permitem aumentar as possibilidades de ganhar. O aconselhamento ajuda a desmontar tais crenças de forma a tomar -se decisões baseadas em factos. Entender como funciona a prática do jogo pode ser uma grande ajuda para encontrar motivação para a mudança.

Enfrentar os Seus Próprios Sentimentos

Muitos indivíduos recorrem ao jogo para evitarem estados de depressão, irritação, isolamento ou ansiedade. Outros utilizam o jogo para enfrentar o abuso, a doença, a perda ou o stresse. Através do aconselhamento pode aprender a reconhecer e explorar os seus sentimentos e a exprimi-los de uma forma saudável, o que ajudará a reduzir o impulso de jogar. Além disso, contribui para restabelecer o bem-estar e a proximidade com a família, melhorando diversas dimensões da sua saúde.

Enfrentar os Problemas. Evitar Recaídas

Frequentemente, as pessoas que jogam em excesso deparam-se com problemas de álcool, droga ou outras adições, impulsividade (agir sem pensar) e disturbios emocionais ou afectivos. O aconselhamento contribui para saber enfrentar tais problemas e assim melhorar a qualidade de vida em geral.

Encontrar Esperança

Quando se sofre de jogo problemático, pode ser difícil encontrar esperança para o futuro. O aconselhamento ajuda a ver que a situação pode mudar. O aconselhamento funciona melhor quando a família inteira faz um esforço e se apoia mutuamente. É por este motivo que existe ajuda para todos os elementos da família.

A maioria dos indivíduos que já teve sessões de aconselhamento afirma que foram importantes e que:

  • Sentem-se melhor consigo próprias;
  • Sentem-se mais saudáveis, física e mentalmente;
  • A sua mente está mais esclarecida;
  • As suas relações familiares melhoraram;
  • Sentem que controlam a sua vida — e não são controladas pelo jogo;
  • As suas dívidas estão controladas.

Recaídas

Por vezes, quando as pessoas começam a recuperar, sofrem um retrocesso e voltam a jogar. Existem muitos motivos para tal acontecer. Os retrocessos, ou recaídas, acontecem a muitas pessoas e não significam que não se consiga ou não se vá mudar. Todavia, o esforço envolvido na mudança será maior depois da recaída e ameaça o progresso. O consultor ajudará a analisar as formas de evitar recaídas ou a aprender, após uma recaída, a forma de que não a repetir.

Apaziguar as Relações Familiares

É importante reaver a confiança dos familiares, o que por vezes pode parecer impossível. Nem todas as relações sobrevivem aos problemas resultantes do jogo. Todavia, com a ajuda de um profissional, é possível minimizar progressivamente os problemas com os familiares e estabilizar ou recuperar o relacionamento .

Os consultores são especializados em ajudar a:

  • Restabelecer a confiança;
  • Comunicar melhor;
  • Reduzir os sentimentos de culpa e aumentar a auto-estima;
  • Melhorar as relações pessoais;
  • Remediar os danos financeiros e emocionais causados pelo vício;
  • Compreender o que a família está a passar e o que pode esperar à medida que a situação vai melhorando.

Voltar a Ter uma Vida Equilibrada

Os problemas resultantes do jogo estão frequentemente associados à perda de equilíbrio e estabilidade na vida. O aconselhamento pode ajudar o leitor e a sua família a encontrarem um equilíbrio saudável e atividades alternativas que possam substituir o jogo.

Encontrar o equilíbrio envolve:

  • Criar rotinas saudáveis (p.ex.: alimentar-se bem e a horas certas, praticar exercício e cuidar da saúde física e emocional);
  • Obter apoio de pessoas amigas e sentir-se melhor acerca de si próprio;
  • Aprender a controlar o stress;
  • Aprender a enfrentar os impulsos do jogo.

Ter controlo no jogo. Pôr as finanças em ordem

Ter Controlo do Jogo

Alguns indivíduos não querem abandonar o jogo, apenas pretendem que cause menos danos. Outros indivíduos sabem que deverão cessar completamente de jogar. O aconselhamento ajudará a alcançar os objetivos e ensinará a controlar o jogo, ficando-se a conhecer os fatores desencadeadores (que estimulam e contribuem para se jogar). Se conhecer estes sinais, então poderá agir.

Os fatores desencadeadores englobam:

  • Ter dinheiro (p.ex.: dia do pagamento do salário);
  • Sentir-se aborrecido, agitado, irritado, deprimido ou só;
  • Ter preocupações financeiras ou dívidas a acumular-se;
  • Começar a beber, consumir drogas ou outras substâncias aditivas;
  • Consumir informação sobre jogos, apostas e indicadores relativos a esta indústria ou ao mercado do desporto e das apostas desportivas;
  • Passar por locais onde se praticam jogos e apostas;
  • Passar tempo com amigos que jogam;
  • Procurar ocasiões normais para jogar (p.ex.: bingo à sexta-feira à noite).

Pôr as Finanças em Ordem

É frequente as pessoas que sofrem de jogo problemático procurarem ajuda após uma crise financeira.

Medidas a tomar para se controlar o dinheiro compreendem:

  • Verificar o montante das dívidas e projetar a forma de enfrentar os problemas financeiros, quer urgentes quer a longo prazo;
  • Obter aconselhamento em matéria jurídica e financeira, sobretudo em matéria de crédito;
  • Definir um orçamento realista;
  • Afastar as situações desencadeadoras, a fim de proteger o dinheiro.

Se tiver família, precisará de colaboração quanto aos problemas financeiros partilhados.

Consultas

Problem Gambling Institute of Ontario
Centre for Addiction and Mental Health
Sociedade Portuguesa de Suicidologia

Atenção

A informação desta página não é para ser usada com fins de diagnóstico efetivo ou tratamento. Não fornecemos serviços de diagnóstico ou tratamento através da Internet.

beenhere

Apoio

Para o ajudar a tomar uma decisão sobre a possibilidade de reduzir os seus comportamentos de jogo, pode querer fazer uma avaliação mais detalhada junto de um especialista. Nesse caso, poderemos prestar-lhe informação sobre os recursos gratuitos existentes em Portugal.

logo_jogo_responsavel_cinza
Marca Registada
O primeiro site de jogo
responsável em Portugal